domingo, 17 de outubro de 2010

O mundo não está melhor


Diante de notícias ruins à nossa volta sempre ouvimos comentários que as coisas estão piorando. Na verdade o mundo não muda pra pior nem pra melhor, fica no meio. Ele caminha nas duas direções. Oscila tempos mais para um lado, tempos mais para o outro. Exemplos de períodos piores foram os das grandes guerras, como os 1º e 2º conflitos mundiais e os de outros anteriormente de igual magnitude para a época que não são computadas, dessa forma, pela história moderna. Invasões de pequenas nações, transformadas em colônias, por outras mais poderosas. Também as grandes epidemias que a saúde, de vários países, sofreu. Crises econômicas e políticas que implantaram, quase ao mesmo tempo, ditaduras governamentais pelo mundo. 

Na outra vertente estão as descobertas de vacinas imunizantes, a libertação de nações do jugo de outras, a democratização de países dominados por militares, o avanço da informática e tecnologia, a ampliação dos direitos humanos no mundo... No entanto, quando menos se espera, algo de ruim surge para a humanidade, como as guerras, por exemplo, sempre originadas por interesses políticos ou econômicos que, ao final, são a mesma coisa. Os americanos saíram do seu continente e - à pretexto de combater  o narcotráfico - instalaram uma base militar na Amazônia e estão se apossando da parte brasileira com seus dólares manchados de sangue oriental.

O mundo caminhou para melhor e para pior, desfruta de uma cultura cíclica de melhora em umas áreas e piora em outras, alternando evolução e atraso. Exemplo disso, atualmente, são o avanço incontido das drogas entre a juventude, da AIDS, a eminência de esgotamento dos recursos naturais e da dilapidação da natureza, a crise familiar, o aumento da criminalidade urbana...

A educação, a cultura, as artes, a igreja, os movimentos sociais progressistas sempre tiveram a capacidade de avivar a consciência individual e coletiva para a preservação dos valores fundamentais da pessoa humana. Sem esses elementos racional espirituais estimuladores da boa consciência humana os homens seriam seres puramente egoistas e perversos. Eles também sofrem essa oscilação cíclica. Esses elementos, associados a um inconsciente e essencial instinto de sobrevivência em grupo, contribuem para a boa convivência da espécie humana. 

O mundo sempre estará melhor e pior para o homem, graças a ele próprio.

Alberto Magalhães

3 comentários:

  1. Eu queria dizer que seu texto não está bom, está ótimo. Apenas gostaria de comentar que estas bases militares nos EUA não tem informação concreta (se bem que em informações militares nunca há certeza de nada). Há o caso do livro didático americano que circulou por aí, que foi constatado como falso - o livro dizia que a amazônia já teria sido integrada pelos americanos. Eu li um trecho do texto e tem erros de gramática;tem um trecho que diz "The creation of FINRAF (FINRAF é a 'nova amazônia', segundo o livro) were supported by all nations" - o correto seria 'The creation of FINRAF WAS supported (A criação da FINRAF foi apoiada por todas as nações). Também não está disponível em nenhuma pesquisa que se faça na internet.

    Abraço.


    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/08/mapa-da-amazonia-dividida-e-mentira-deliberada-diz-diplomata-brasileiro.html
    http://maierovitch.blog.terra.com.br/2009/07/31/novas-bases-militares-dos-eua-na-colombia-sob-pretexto-de-guerra-as-drogas/

    http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,MUL1259161-5602,00-OBAMA+NEGA+QUE+EUA+QUEIRAM+INSTALAR+BASE+MILITAR+NA+COLOMBIA.html

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/08/mapa-da-amazonia-dividida-e-mentira-deliberada-diz-diplomata-brasileiro.html

    ResponderExcluir
  2. Caro Marcos,

    A pretexto de dar apoio ao governo boliviano contra as drogas, os EUA instalaram bases militares próximo à área onde eles têem interesse estratégico: a amazônia. Por esses dias o governo brasileiro enviou lei ao Congresso para conter a compra de imensas áreas que os norte americanos estão adquirindo por lá. Na verdade os EUA têm aquela área como patrimônio mundial – não brasileiro, e já estão começando a ocupá-la discretamente para no futuro ser sua reserva de água potável e plantio de alimentos. Nos estudos apresentados aos estudantes norte americanos a floresta amazônica é mostrada como área atualmente dissociada do Brasil. Para preparar psicologicamente a população que a conquista futura da amazônia, por eles, é legítima. E o povo sonso de lá convenientemente acredita em tudo o que eles dizem. Onde eles botam o olho gordo...

    A presença de forças dos Estados Unidos na Colômbia, reforçada por novas bases, é uma preocupação diplomática. Aviões americanos de transporte de longo alcance operama à partir da base colombiana de Palanquero, no centro leste do país - o que, em tese, os coloca voando facilmente sobre o Planalto Central. Os “caças” norte americanos têm autonomia de 3 mil quilômetros, portanto podem cobrir uma grande área.

    Por ironia – seria cômico se não fosse trágico-, soldados americanos recebem regularmente instrução de combate no cenário de florestas tropicais pelos centros de treinamento da Brigada de Infantaria de Selva - BIS, com sede em Manaus, que é considerada uma das tropas mais especializadas do mundo em combate na selva.

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. COMPLEMENTANDO: Onde os norte americanos estão, atualmente, instalando bases militares - a pretexto do combate ao narcotráfico -,é na Colômbia. O acordo com aquele país é para estabelecer sete bases militares na área próxima ao Brasil e Venezuela. O que causou um profundo mal estar nesses dois países.

    ResponderExcluir