sábado, 11 de dezembro de 2010

Carta a um amigo


Os dias são mais tristes que alegres. As estradas são longas para se alcançar os objetivos e um vento qualquer, às vezes, nos tira o que arduamente alcançamos. Também as coisas e as pessoas  que conquistamos nunca são exatamente como pensamos ou  queremos. Talvez sejamos muito exigentes ou perfeccionistas com relação a algumas coisas. As promessas que no mundo surgem não são completamente reais, mas têm o condão da inspiração de nos fazer viver mais intensamente a vida.

Quando se pensa que se está chegando às estrelas da realização e elas se dispersam feito nuvens de verão, não se deve definitivamente se abater. A queda não é o fim, mas o encerramento de um caminho e a oportunidade de um recomeço ou, talvez, a reprovação de uma matéria da escola chamada mundo com direito a recuperação. O conjunto deve importar mais que a unidade, seja a que for. Devemos alimentar esse princípio.

A vida é mais esperança que felicidade, para ser o incentivo da caminhada. Pense nisso.

Alberto Magalhães

Nenhum comentário:

Postar um comentário