domingo, 7 de fevereiro de 2010

Epílogo

A violência constante nas cidades reflete, talvez, o desequilíbrio inconsciente do homem que não encontrou nos valores cultivados pela sociedade moderna um resultado benéfico para si.

O avanço admirável da tecnologia e a modernidade do Estado não trouxeram a paz social, as relações afetivas não se consolidaram plenamente com a liberalidade, a família não se solidificou com o aumento das religiões, a melhoria nas estruturas físicas das cidades não trouxe melhoria no campo pessoal. A humanidade está desiludida consigo mesma, com seus paradigmas. Não se acredita mais nos políticos e nos líderes religiosos como antes. Não se confia mais nos pais, professores, vizinhos...

As tantas formas de conflitos entre pessoas nas cidades e o suicídio em todos os países do mundo nos mostram o fracasso do homem em sua busca de bem estar pleno, de realização pessoal e familiar só nos governos humanos, nas Instituições criadas, nos prazeres imediatos...

Alcançamos um grande progresso científico, tecnológico, secular. Porém houve uma decadência do homem como ser espiritual. Tentamos abafar nossa própria consciência com tudo o que nos cerca de fácil e interessante sem nos importarmos com a perda dos melhores valores da vida. Tudo o que ocorre de ruim ao nosso redor é fruto disso.


Alberto Magalhães


Imagem: Manifestação na Praça da Paz Celestial/Fonte:Internet/autoria desconhecida.

2 comentários:

  1. Apesar do desnorteamento atual, temos sem dúvidas as ferramentas mais adequadas para usar e consertarmos o que não está bom...somente pecisamos afiá-las e usá-las de modo competente.

    ResponderExcluir
  2. É meu caro Marcos, é a nossa esperança.

    ResponderExcluir